2011-02-26

é?

e ficou para sempre na memória a recordação daquele dia de sol de inverno que aquecia os cabelos mas não a mão que passaste na minha cara enquanto dizias és tão bonita e eu fechando a boca com muita força com medo de que o estomâgo não se segurasse e as pernas não se aguentassem e os olhos saltassem das órbitas já que todo o universo o fez e foi por isso que o planeta deu um pulo nesse preciso momento, mas como és não uma pessoa distraída mas uma distracção pessoal, não reparaste e os teus dentes continuaram a sorrir para mim como se o primeiro dia em que ora bom dia e nunca mais me largavas. acontece que agora já não eu uma flor mas tu, a minha pessoa sim uma personagem fantasiosa qualquer, que teima na reforma das nações para um estado unificador de alegria, bondade e comunhão com a natureza, e que apanha a mesma flor todas as manhãs para a usar o resto de todas as noites, por lhe adorar as cores.
quando o teu coração me fala disfarçado pelos teus dentes pelos quais eu juro que não tenho fixação alguma, é tudo isto que me apetece dizer e falar e conversar aos beijinhos, mas e se o estomâgo não segura as pernas não aguentam e o os olhos saltam, coração?

5 comentários:

Nuno . disse...

Fização?

susana disse...

É deixá-los saltar... Já há um tempo que não lia um texto assim tão eish! Beijinhos ;)

M. disse...

adorei (: continuaaa **
beijinhoos M.

Rita disse...

já fazia cá falta um texto teu , gostei muito muito!

margaridda disse...

adorei o blog , estou a seguir ;)