2009-04-11

já me perdi.

chamavam-me Bia. aliás, ainda chamam. eu quando era pequenina nao sabia dizer Margarida, e vá-se lá saber porquê, dizia que era Bia. coicidencia das coicidencias, a minha mãe sempre quis que me chamasse Beatriz. mas foi Margarida, e ainda bem!
eu tenho a Bia, desenfreada até mais não, eléctrica que não pára um segundo, respondona e segura de si. com ela, não fazem farinha. desarrumada, desorganizada. cabeça sabe-se lá onde. sofisticada, pulso firme. tontinha, faz-me remorsos.
depois há a Margarida. uma flor que pouca gente descobriu, uma timidez que ainda ninguém provou. é mais nova que a bia, mais inocente. não tem imunidade, muito menos à sensibilidade. a maior parte das vezes, é ela que me escreve, por estas ruazinhas que não lembram a ninguém. flor do mar, tal qual a novela. imagino-a sempre com um vestidinho às flores, corada. ela não é segura de si. não é pulso firme, deixa andar. gosta de pensar. um toquezinho de pãozinho sem sal, às vezes chega a enjoar-me. vive apaixonada por qualquer coisa que lhe apareça à frente e que lhe agrade, o minimo que seja. e chora, ela chora muito. a margarida dá-me a mão. puxa-me e deixa-me ser eu, ela sabe ajudar, mas quase nunca tem força ou coragem para o fazer.

12 comentários:

Maria Francisca disse...

Ohh 'Bia', tão querido. :)
Não querendo desfazer, tenho curiosidade de conhecer essa Margarida tímida, de vestido branco e pés descalços, faces rosadas e sorriso ingénuo. :)
Adorei Margarida. :)
Beijinhos *

AnaLuísa disse...

gosto do nome Margarida :)
e há tempos também li o significado da flor e gostei muito. símbolo da inocência e timidez; é a flor das crianças (acho que era isto).

gostei do texto, boa Páscoa :) *

coloredleaves» disse...

Margarida é mesmo bonito, mas Beatriz também não fica nada atrás. Gosto da maneira como escreves, é bem fofinha.
Adorei (:
Beijinho*

Afonso disse...

Adoro o nome margarida, é o nome da minha madrinha. =')
E Beatriz é o meu nome de rapariga preferido. :D

Beijinho*

Catarina disse...

Obrigada minha linda ^^
Adoro a forma como escreves e te expressas, é espectacular e diferente!
beijinhos .

Susana disse...

tenho uma Margarida dessas sempre comigo :')
adorei, escreves mesmo bem :D beijinho*

baby piggy disse...

Adoro os dois nomes e acredita que todos temos essas duas pessoas (: *

Maria Francisca disse...

Um dia estava completamente estafada, parecia que já não aguentava...
E o meu colégio tem uma capela. Pedi permissão ao professor dessa aula (que por sorte é o meu responsável de turma e um amor de pessoa :) ) e fui até lá.
Entrei e estava completamente 'vazia'. Vazia de pessoas, de barulhos, de guerras, de choros, de desespero. Mas nunca me senti tão cheia como nesse dia.
Fui caminhando para uns bancos da frente, andando em direção ao altar.
Cada vez que mais próxima estava mais me dificil era controlar as lágrimas.
Até que desatei num choro imenso. Mas de tanta felicidade, porque Deus me tinha escolhido.
Tinha-Se sentado ao meu lado e Tinha pegado a minha mão.
Olhei para uma estátua de pedra de Nossa Senhora, a paz que ela me transmitia Margarida. :$
Olhava para o altar, Deus estava realmente comigo. Como nunca tinha estado, e como nunca poderia estar. Mas decidiu estar.
E eu chorava, e chorava tudo o que tinha para chorar.
Sem me conseguir controlar.
Levantei-me, e no mesmo sítio abri os braços e gritei para o altar (com alguns soluços e lágrimas pelo meio): 'Meu Deus, diz-me o que Queres de mim. Eu entrego-te a minha alma, está aqui. Não preciso de mais nada. Estou cheia de Ti. Por favor diz, dar-te-ei a minha alma. Tenho tudo. Já tenho tudo.'
O que eu chorei nesse dia... Meu Deus, foi uma coisa incontrolavel.
Até que limpei as lágrimas à manga do casaco (vá, é um bocadinho mauzinho, mas quem é que não faz isso? :b) levantei-me, benzi-me e sai. :)
Tcharan, e é por estas e por outras ocasiões que acredito completamente.
Apesar de ter algumas (muitas) coisas contra a igreja católica e alguns dos seus costumes (porque andar num colégio de freiras não é assim tão engraçado. :b) acredito em Deus.
Deus não me pediu que seguisse a igreja, pediu-me que o seguisse a Ele.
E não me importo que o meu caminho seja diferene, ou até que tenha que andar mais.
Porque já tenho Tudo! Tenho Deus. :)
Beijinhos meu amor *

Camilla disse...

Me identifico com o lado margarida. Sempre fui mto ligada a minha infancia, logo, a infância lembra inocência e a inocência a margarida.

Quando era pequena morria de vontade de ter o apelido de Bia, vai saber lá o pq.

Abraços!
=)

um mundo. disse...

como fico feliz por me deparar logo com uma descrição tua - melhor, com a descrição da bia e da margarida - logo quando te conheço (: e como gostei de te conhecer!

gostei de te ler, a sério. vou visitar o teu blog mais vezes, simpatia.

e obrigado ;D *

MafaldaMacedo disse...

a minha irmã chama-se Margarida :)
está tão, tão doce o texto *

Madu disse...

Que docinho.

Imagino as Margaridas sempre assim. calminhas, inocentes, genuinas. é um nome que transmite paz, definitivamente.

E tenho uma adoração especial por todas as Margaridas que conheço, não sei bem porquê. são todas umas queridas:)

tenho ainda uma irmã mais nova chamada Margarida. Identifiquei-a muito no teu texto:)

beijinho e desculpa ter falado tanto, não é costume meu

Madu