2009-11-03

pedra prata

descalço as botas e adivinhas-me os nervos pelas mãos firmes que se afirmam agora instáveis. vês-me, por trás das cortinas brancas, a abrir a janela e a tentar roubar da coragem do ar por se passear ali, mas, por não me saberes de cor, nem sonhas o que te espera. sou de luas. sou de luas e tu nem me imaginas tão prata quanto ela, como haverias de me saber de cor?
agora, estou lua nova. e quando me renovo, dizem que há sempre brilho que se vai esvaiando por entre os dedos gélidos. saberias-me de cor se fosse então lua cheia, de ti e de mim, dos sorrisos que roubávamos às estrelas. agora, lua nova que se quer ver crescer, não sei. como não sei, dá-me um brilho, uma luz de estrela imaginária, vá lá.
não te estou a pedir muito, estou? afinal, és o planeta.

13 comentários:

jo disse...

Nunca tenho palavras para os teus textos maravilhosos.
Perfeito, original, profundo, tanta coisa ...

Margarida C' disse...

Tão doce, que não tenho palavras. Adorei :)
Beijinhos

Rita da Maçaroca disse...

E eu hoje estou Lua Cheia :D e tenho dito!

Está maravilhoso...

Maria Ana Castello-Branco Santos disse...

gosto tanto da musica e das cores do blog :) e do blog claro :)

sigo *

# Gabriela disse...

wow, adorei :O
- vou seguir-te, sim <3

filipa disse...

Adorei, adorei +.+

Qel disse...

que anologia mais bem feita, e ainda por cima com a lua! Adorei. Sabes, eu hoje queria ser lua nova, não só pra me renovar mas também pra não ser visível no céu. É isso, hoje dava jeito ter-me escondido e confundido com o céu, qual lua nova.
Um beijinho *

Arisca disse...

Oh Margarida!

O que posso eu dizer sem me tornar repetitiva?
Os seus textos emocionam-me. Tocam-me.
É o que de mais sincero posso dizer!

*um beijinho e bons ventos

luisinha disse...

e eu o teu++

filipa disse...

e a mim também +.+

Maria Francisca disse...

Tu mereces um Sol, um Sol bem grande.
Um sol assiiiiiiiim!
Do tamanhão do teu coração!

Daniela e Yolanda disse...

gostamos muito do teu blog :D

Bom trabalho ^^

'stracciatella disse...

Adorei a analogia que fizeste! É que pintaste imagens na minha mente...