2010-10-03

ainda estou para perceber

hoje, que toda a gente fala da chuva, eu digo-te, o nevoeiro é muito mais além. sentada com um anormal, fria da chuva, a casa de portas partidas e paredes doentes tomava as formas que bem quisesse. isto porque o nevoeiro é meu amigo. isto porque a capela molhada continua a ser acolhedora, e um amor vazio continua a ser mágico. hoje não sei que escreva, porque a chuva passa a vida a trair-me. antes eu até me sentia bem. uma manta azul e cabelos molhados porque pessoas normais hão-de sempre ser chatas, e eu a modos que estava contente. mas o nevoeiro dissipou. afinal tinha mesmo voltado a ser quem era, onde sempre fui. bolas. raios partam o nevoeiro.

7 comentários:

Ana disse...

O nevoeiro nunca fará de ti uma pessoa normal. És demasiado diferente para isso. *

Maria Francisca disse...

fuck it, já não consigo fazer comentários como deve de ser com textos destes...

Gislãne disse...

Lindissimo.

é sempre bom lê teus escritos

bjos

Anónimo disse...

muito bom a casa de portas partidas e paredes doentes a caapela acolhedora e os guradaschuvas com o ''rabo'' sujo

simplemente lindo
adorote


um anormal

Rachel disse...

Muito obrigada :)
Também aodrei o teu blog. Bom texto. Amei o post de baixo. Realmente muito bom.
Também estou a seguir*

Matilde Cê disse...

o que te sentes quando chove e quando está nevoeiro?

Matilde Cê disse...

acho que sei. se me apaixonasse por alguém que não o soubesse julgo que me apeteceria explodir e contar-lhe tudo.
a chuva a mim também me faz querer dizer muita coisa ao mesmo tempo, às vezes coisas sem grande nexo.
(alguém cantou essa música?)