2009-12-29

mim para mim

tenho raiva de ti por nunca me deixares contar o que passamos juntas. mais, tenho raiva de ti por só tu, flor feia, saberes tentar enfeitiçar com palavras. mas não penses que te vais esconder sempre atrás de mim. aprende a ver a vida de frente, menina, e não só o céu. aprende de uma vez que o mundo onde vives já não gosta de flores de campo, não que queira que deixes de o ser. gostava era que não te escondesses atrás de mim, cosmopolita assumida, que se tem de deixar levar pelos teus devaneios suaves e frescos.
tenho raiva de ti por nunca me deixares contar o que passamos juntas. flor feia, a vergonha é moda antiga, e apesar de durona, sei partilhar. ela herdou de ti o cabelo selvagem que não sabe se liso ou ondulado; mas por mim, consegue erguer o seu pulso firme. não sou assim tão má como me pintas - e como gostas de pintar, Céus - e, quer queiras quer não, somos uma só, de cabelo selvagem e pulso firme. não uma só como amantes cegos e lamechas, mas uma só. literal e figuradamente. e por isso te digo: não é assim tão mau seres-me, flor feia.

7 comentários:

joana disse...

nada disso... se encontrares alguma coisa feia é porque nao te pertence minha flor mágica...
ja tenho tantas saudades voces... porque sem a flor que dizes feia, nao seria a mesma coisa.

filipa disse...

nada é assim tão mau!
<3

Rita da Maçaroca disse...

Tambem ja encontrei assim umas flores feias :S

Maria Francisca disse...

Essa flor feia não sabe o que a vergonha tem, o que a vergonha é.
Orgulho, era isso que devia ser.
A flor feia é bonita, tens que falar com ela.

Maria Francisca disse...

Shiu pequenina. És linda, prometo-te.

Líí disse...

Gosto da forma como escreves , por vezes tenho que ler e reler para perceber de um modo profundo a tua escrita. Continua assim ;)

Helena disse...

Gostei muito, vou seguir (: