2010-02-07

castelo

hoje não. hoje está um dia frio, luvas e cachecol, demasiado para me vires aquecer na tua ânsia toda de agradar. hoje não, até parece que não sabes que faço de propósito quando me esqueço das luvas na cómoda da entrada. hoje não, hoje não venhas. sabes que gosto de subir estas ruas sozinha, pasmar nas muralhas do castelo a olhar para a casa nelas plantada. há anos que cá não vinha, culpa da família que pouco gosta de recordar. para mim é uma das muitas vidas que levo. por isso, olá avó da mãe, que nunca gostei de te chamar bisavó. sei que nunca fui a tua netinha, nasci em vésperas de revolução e nunca ansiei agradar. mas amaste-me, amas-me, à mesma, como eu ainda ser fazer. subi aqui hoje, de mãos frias, mais para te agradecer que para amar mais uma vez o coração de Lisboa. deixo isso para depois, quando apanhar o sol a jeito. ainda te vejo aí, a fazer croché e a falar com os turistas, nessas escadas fracas para a tua altivez sábia toda. eras deliciosa de se ouvir, e deste-me a descobrir a única coisa que neste momento me agarra a mão. deste-mO a descobrir. a Ele já lhe agradeci poder falar contigo assim hoje, sentadas nas escadas as duas.
a mãe disse que estavas bonita quando foste ter com o avô Bernardo. mas não foi por isso que deixou de chorar. nem o teu netinho parou de tremer. estava lá uma senhora - tu gostas muito dela - que era a única a olhar para mim naquele dia. franzia a testa, à procura da minha reacção. do alto dos meus 9 anos da altura, sabia que não era a confusão dela que importava. era a tua serenidade ao ver a minha calma. subi as escadas e sentei-me no chão com o terço que me deste nestas escadas fracas onde pasmo agora. nunca liguei muito a terços. mas deste-mO a descobrir, e eu perguntava-te se já Lhe vias os pés.
agora sei que tu também me agarras a mão fria, hoje. sei-te bem o tom de pele, está-me no sangue o teu feitio resmungão e sincero, de quem sabe amar, mais que Lisboa. amo-te Eduarda, que me deste a conhecer.

9 comentários:

Nikkie disse...

Obrigada :) parece que quando nos sentimos mal, as coisas saem mais bem feitas :b

luisinha disse...

ohhh :') ainda bem margarida

Lúcio Ferro disse...

Lisboa é fixe, curto largo de subir a encosta do martim moniz para o castelo.

Gostei do blogue.

filipa disse...

está fantástico margarida :)

Niqui disse...

adorei .

Maria Francisca disse...

(Eu não vou referir os comentários totalmente desnecessários daqui de cima, mas tudo bem.)
A minha vovó também é - foi - assim.
Um dia, quando precisares de alguém para passear contigo nas ruas de Lisboa, podes chamar o céu. Ele vai logo ter contigo.

sara disse...

adorei margarida! és tão profissional na escrita, encaras tudo com TANTO sentimento *.* é lindo, é lindo o que escreves <3

Ana disse...

Não importa como nos é dado a conhecer. O importante é q este Amor venha, de que maneira for.

Maria Francisca disse...

Aiiii, eu não acredito que tu te lembras. Minha preciosidade